Mais uma vez ficou claro que o potencial de trabalho e de confiança do senador Davi Alcolumbre é muito maior do que aquele imaginado por seus próprios correligionários que o elegeram senador da República e os seus pares que o elegeram presidente do Congresso Nacional.
Uma disposição incrível e uma visão objetiva lhes são características e que foram reveladas, claramente, logo nos primeiros dias de sua função como presidente do Congresso Nacional estruturando o Senado ao seu modo, respondendo perguntas de forma direta e sabendo do tamanho do espaço que ocupa na repartição das responsabilidades nacionais.
Percebeu, perfeitamente, que o Amapá é uma fatia do Brasil, deixando de lado as questões das prioridades para determinadas regiões ou estados.
Reconhece a importância do Amapá para o Brasil e dele mesmo para o Amapá, sabendo que é a principal ponte, ou a nova ponte, que pode levar ao desenvolvimento para esse estado que fica do lado esquerdo do Rio Amazonas.
Na primeira estada no Amapá deixa um rol de esperanças para a população saber que ele pode ser o grande líder que o Amapá espera desde quando foi transformado em Estado e viu, aos poucos, o desenvolvimento local ir minguando, as promessas feitas não serem cumpridas e os oportunistas dominarem se valendo de suas espertezas.
A agenda que trouxe de Brasília era um desafio, mas também a portadora da mensagem de que Davi Alcolumbre está disposto ao trabalho, à transpiração e a realização dos primeiros sonhos dos amapaenses, já cansados de tantas promessas, mas ainda tendo a convicção que, um dia o quadro poderia mudar e o Amapá deixaria de ocupar as posições que ocupa na escala onde são avaliados os outros estados.
Davi Alcolumbre recolocou a esperança no coração do povo. Falou com todos os representantes do povo por todo o Estado e ainda assumiu responsabilidades individuais, sem condicionantes.
A liderança nata de Davi Alcolumbre está a serviço do Amapá, dos amapaenses e de cada um daqueles coerentes consigo mesmo.